Chegando em La Paz

15 de fevereiro de 2016

Chegada em La Paz pelo Aeroporto El Alto 
Sabe um desses lugares que te surpreendem? Então, La Paz foi assim, surpreendente do começo ao fim!
Assim que o avião pousou em El Alto (Aeroporto Internacional que serve a cidade de La Paz), notei que aquele seria um lugar bem diferente de todos que havia visitado. Já na chegada ao aeroporto é possível ver várias casinhas de tijolo em torno da pista e pasme, o aeroporto fica bem ali, em uma área residencial.
FullSizeRender-2
Foto ilustrativa (eu tirei essa foto do teleférico já que eu estava sem bateria quando eu cheguei de avião no aeroporto)
Desci do avião já sem fôlego e andei como uma tartaruga sofrida até a retirada de bagagens. Coloquei a mochila nas costas e pensei… Oh Lord será que eu chego até a saída? hehehe Não me critique, eu tinha acabado de pousar na cidade mais alta do mundo, estamos falando de 4.150 metros de altitude, você sabe o que isso significa? Muiiiiita falta de ar, vou ser mais clara, quanto maior a altitude, menor é a quantidade de oxigênio.
Ali mesmo no aeroporto, descobri que na área do embarque tinha um caixa eletrônico e uma casa de câmbio, como eu não tinha 1 Bs (boliviano) para pagar o taxi, fui caminhando até lá pra trocar os meus reais pela moeda local (leve Real, lá qualquer casa de câmbio faz a troca da nossa moeda). Todo mundo sabe que trocar dinheiro no aeroporto é furada (os valores são altíssimos), então troquei apenas o necessário para pegar o taxi para o hostel e comer alguma coisa.
Já com dinheiro no bolso, fui tentando me recompor aos poucos do cansaço e caminhei rumo à saída do aeroporto pra caçar um taxi, quando de repente fui “atacada” pelos fortes ventos das montanhas, era um frio cortante, que quase me transformou em picolé, por falar nisso, lá o tempo é frio durante todo o ano, a temperatura não ultrapassa os 17°C nem no verão, então trate de chegar bem agasalhado.
Mas voltando ao assunto do taxi, é o seguinte, lá os taxis não tem taxímetro e nem tabela, o preço é negociado na hora diretamente com o motorista. Você também tem que perguntar se o preço é pelo carro ou por pessoa. Se você der mole o taxista vai enfiar mais gente no “seu” carro. Como eu estava sozinha (minha prima só ia chegar no outro dia) eu obviamente não perguntei se o preço era pelo carro, então no meio do caminho o taxista parou e buscou a filha dele para seguir a viagem com a gente. rssss Foi engraçado, eu nunca tinha vivido aquilo, mas valeu a pena, a filha do taxista e ele foram me mostrando e explicando cada lugar por onde passávamos, ele também me contou que a filha dele tinha acabado de se formar em inglês e me pediu pra testar o inglês dela. Morri de rir! No final o trajeto foi divertido e prazeroso, nem senti os 30 minutos que se passaram até chegar ao hostel.
IMG_1190
Normalmente do aeroporto ao centro, os taxistas cobram em média entre 60 e 70 bs. Como eu já estava com frio e cansada paguei logo os 70 bolivianos, o que foi muito barato, pois na época R$1,00 estava Bs 1,80 então o preço da viagem em real saiu por volta dos R$39, nada mal né? Por falar nisso, andar de taxi lá é super barato. Dentro da cidade os valores não ultrapassam 20bs. Fique apenas atento (a) aos taxis, peça para o seu hostel chamar um ou pegue taxis de cooperativas, por falar nisso o Easy taxi também funciona lá, sabia?
Ahhhh outra coisa, o trânsito lá é bem caótico, não se assuste quando você se deparar dentro do carro com um ônibus praticamente colado na porta do carona ou com uma galera atravessando a rua com os carros em movimento, aquilo é uma loucura, a buzina então, ahhh como eles adoram apertar a buzina, mas no fim dá tudo certo, eu não vi um acidente ou sequer uma pessoa atropelada. rssssss
IMG_9457
A minha viagem foi em setembro de 2015.
Você está indo pra La Paz ou já foi e teve uma experiência parecida?
Compartilhe aqui comigo, vou adorar te ajudar ou ler a sua história…

By Belle Nog

Uma carioca tagarela, apaixonada por viagens e fotografia.

2 Comments

  1. Responder

    Romário Farias

    Olá, gostaria de fazer uma pergunta. Aonde você trocou mais dinheiro depois?

    1. Responder

      Belle Nog

      Oi Romário,
      Tem várias casas de cambio por La Paz, eu trocava em um casa que ficava bem próxima ao meu hostel.
      Como em qualquer cidade movimentada, você só deve ter cuidado com o dinheiro, protegendo-o em em alguma parte segura do seu corpo.
      La acontece muito furto e você nem sente.
      Eu e a minha prima passamos por um episódio, que quando saímos da casa de cambio, jogaram algo na cabeça da minha prima para ela colocar a mão na cabeça e ficar com o bolso livre, na hora eu vi e disse para ela continuar com a mão no bolso, por sorte ela viu a tempo e não conseguiram levar nada.
      Ou seja, tem que ficar atento.
      Bjocas e boa viagem!

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *