Tiwanaku

15 de fevereiro de 2016

Assim que eu decidi conhecer La Paz, ainda sem roteiro, eu só tinha certeza de uma coisa, Tiwanaku tinha que estar dentro da minha programação.
Mas Belle, por que Tiwanaku?
Simples, estamos falando de um dos mais importantes precursores do Império Inca e eu como uma boa amante de história, jamais poderia deixar de conhecer esse lugar!
O sítio arqueológico de Tiwanaku, TiahuanacoTiahuanacu ou Tihunaco foi a capital de um vasto império regional pré-colombiano, antecedeu o império Inca com suas origens datadas por volta de 400 a.C. e teve o seu apogeu entre os anos 500 e 900 d.C. Mas não para por aí não… Há novos vestígios que apontam que o lugar foi formado por volta de 1500 a.C. Chocante né?
Esse sítio arqueológico é um dos mais antigos da cultura andina e suas ruínas surpreendem não só pela história, mas também pelo misticismo, pelo artesanato e pela perfeição das técnicas de construção e decoração utilizadas na época. Ele está localizado á cerca de 72km de La Paz, bem próximo ás margens do Lago Titicaca e a mais de 3.800 metros acima do nível do mar. Sua área é administrada pelo governo boliviano e desde o ano 2000 é considerado patrimônio da humanidade pela Unesco.
Mas vamos ao que interessa… Como chegar em Tiwanaku?
Eu e a minha prima fomos á Tiwanaku através do tour Tiwanaku Day Trip da empresa Bamba Experience. O Tour durou aproximadamente 7h e começou pontualmente ás 08h30, quando nos buscaram no Hostel. O passeio foi excelente e super completo. Contamos com a segurança no transporte (Micro-Bus), com um guia especializado que nos explicou tudo em inglês e em espanhol; e com o almoço.
Andar na Bolívia de transporte público pode ser um pouco complicado e tenso, então se você tiver condição, eu lhe aconselho contratar um tour para esse passeio.
 Nosso guia na entrada dos museus de Tiwanaku explicando o lugar...
Nosso guia na entrada dos museus de Tiwanaku explicando o lugar…
 Mas Belle e se eu quiser ir por conta própria, saindo de La Paz?
Aí você deve ir até o Cemitério de La Paz, do outro lado da rua em frente ao portão principal do cemitério tem alguns floristas e à direita deles você irá encontrar vans de 2 cooperativas que oferecem o trajeto. O trecho custa em torno de 15bs (R$9,00) e leva cerca de 90 minutos. Pra van sair, é necessário que ela tenha no mínimo 10 pessoas, isso quer dizer que você provavelmente terá que aguardar a van encher, mas não se preocupe, isso é rápido!
Chegando em Tiwanaku, a van irá deixá-lo à direita, na estrada que leva para as ruínas. Pra voltar, faça o caminho reverso.
 Atenção, não há nenhuma estrada direta entre Tiwanaku > Copacabana. Se você quiser fazer esse trajeto, você deverá retornar á La Paz e do Cemitério mesmo deverá pegar um ônibus ou van que sai a cada 30 minutos entre ás 06h e 18h para Copacabana. Essa viagem dura cerca de 4h (incluindo a travessia de balsa) e custa em torno de 35 bs (R$21,00).
Eu e a minha prima tentando tirar uma foto com as alpacas
Eu e a minha prima tentando tirar uma foto com as alpacas
E ai Belle, cheguei em Tiwanaku, agora é só “chegar chegando” nas ruínas?
Não, indo por conta própria ou mesmo indo com um tour contratado, você deverá comprar o seu ingresso de 80 bs bem na entrada do sítio arqueológico. Esse ingresso irá permitir o seu acesso ás ruínas de Kalasasaya, Puma Punkka, ao museu Lítico (que conta com a maior escultura encontrada em Tiwanaku – O Monolito Pachamama) e ao Museu Cerâmico.
 Depois disso, eu só tenho uma coisa a dizer, bom passeio!
Templo Kalasasaya
Templo Kalasasaya
Nessa foto estamos a 2 metros abaixo do nível do solo, no Templete Semi Subterrâneo. Formado por paredes de sustentação com 57 pilares de blocos de arenito vermelho, esse espaço forma um sistema perfeito de drenagem elaborado com canais de pedra e que funcionam até hoje. Foi aí que encontraram a maior peça de Tiwanaku, o monolito “Pachamama”, que mede 7,30m e tem um peso aproximado de 20 t. Ao nosso lado está o "Monolito Barbado" ou “Kon Tici Wiraqocha" (Senhor das Águas, barbudo e vestido com uma saia longa) esculpido em arenito e acompanhado por duas estelas (pedras talhadas) menores.
Nessa foto estamos a 2 metros abaixo do nível do solo, no Templete Semi Subterrâneo. Formado por paredes de sustentação com 57 pilares de blocos de arenito vermelho, esse espaço forma um sistema perfeito de drenagem elaborado com canais de pedra e que funcionam até hoje. Foi aí que encontraram a maior peça de Tiwanaku, o monolito “Pachamama”, que mede 7,30m e tem um peso aproximado de 20 t. Ao nosso lado está o “Monolito Barbado” ou “Kon Tici Wiraqocha” (Senhor das Águas, barbudo e vestido com uma saia longa) esculpido em arenito e acompanhado por duas estelas (pedras talhadas) menores.
Ainda no Templete Semi subterrâneo o que mais chama atenção são as 175 misteriosas cabeças antropomórficas de pedra embutidas no muro. Nenhuma cabeça é igual à outra e estudiosos afirmam que correspondem a diversas etnias de lugares remotos. Quem viu o E.T. na foto? Alguns traços asiáticos reforçam a ideia de que essa região foi banhada pelo mar.
Ainda no Templete Semi subterrâneo o que mais chama atenção são as 175 misteriosas cabeças antropomórficas de pedra embutidas no muro. Nenhuma cabeça é igual à outra e estudiosos afirmam que correspondem a diversas etnias de lugares remotos. Quem viu o E.T. na foto? Alguns traços asiáticos reforçam a ideia de que essa região foi banhada pelo mar.
A imponente Porta del Sol, um dos mais impressionantes monumentos. Conhecido em todo o mundo como um exemplo do alto grau de perfeição alcançado pela cultura pré-colombiana na América do Sul. O belo portal trabalhado na rocha consiste num único e imponente bloco de andesita, pesando em torno de 10 a 13 toneladas. Considerando a posição da porta, e comparando-a com as modificações orbitais e de inclinação do eixo da Terra, fazendo um comparativo entre o nascer do sol no passado com a atualidade, estima-se que o Portal do Sol teria sido construído em 200 a.C.
A imponente Porta del Sol, um dos mais impressionantes monumentos. Conhecido em todo o mundo como um exemplo do alto grau de perfeição alcançado pela cultura pré-colombiana na América do Sul. O belo portal trabalhado na rocha consiste num único e imponente bloco de andesita, pesando em torno de 10 a 13 toneladas. Considerando a posição da porta, e comparando-a com as modificações orbitais e de inclinação do eixo da Terra, fazendo um comparativo entre o nascer do sol no passado com a atualidade, estima-se que o Portal do Sol teria sido construído em 200 a.C.
Yo y mi primicha congelando com o vento cortante...
Yo y mi primicha congelando com o vento cortante…
Nossas novas amigas e o Monolito Ponce
Nossas novas amigas e o Monolito Ponce
Também conhecido como "Estela Ponce" ou "Estela 8", o monólito Ponce está localizado dentro do recinto do templo de Kalasasaya (kala = pedra e saya ou sayasta = parado), também chamado de Templo das pedras paradas. Ele mede 3 metros de altura e foi esculpido a partir de uma única pedra andesita. Acredita-se que ele representa uma poderosa autoridade de Tiwanaku.
Também conhecido como “Estela Ponce” ou “Estela 8”, o monólito Ponce está localizado dentro do recinto do templo de Kalasasaya (kala = pedra e saya ou sayasta = parado), também chamado de Templo das pedras paradas. Ele mede 3 metros de altura e foi esculpido a partir de uma única pedra andesita. Acredita-se que ele representa uma poderosa autoridade de Tiwanaku.
O que eu achei do lugar?
Tive a sensação que ele é um pouco abandonado, mas eu gostei muito! Ele me deixou completamente fascinada e acho que esse é literalmente um Must Go de La Paz.
.
Já foi a Tiwanaku ou quer conhecer? Conte aqui o que você achou desse post! 🙂

By Belle Nog

Uma carioca tagarela, apaixonada por viagens e fotografia.

2 Comments

  1. Responder

    Marcel

    Adorei seu relato e suas dicas. Vou para lá daqui uma semana. Por acaso você considerou viável ir de trem de La Paz (El Alto) até Tiwanaku?!
    Há uma linha té Guaqui com uma parada em Tiwanaku próximo do complexo arqueológico, mas para esse trecho não encontrei nenhuma informação de venda disponível pela FCA (Empresa Ferroviaria Andinas).

    Parabéns pela página! =)

    1. Responder

      Belle Nog

      OI Marcel,

      Obrigada pelo comentário e pela dica, não sabia dessa de ir de Trem para Tiwanaku.
      Vi que estou te respondendo com um pouco de atraso, então provavelmente você já viajou.
      Você fez esse trajeto?
      Conta ai…
      Bjocas

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *