City Tour em Cusco + 4 Ruínas

23 de fevereiro de 2016

Cusco foi o mais importante centro administrativo e cultural do Império Inca e é a maior cidade próxima a Machu Picchu, por aí já é possível notar que esse não é um desses lugares que você consegue explorar sozinho não é mesmo? Para não perder nenhum detalhe e conseguir entender melhor o lugar, minha prima e eu fizemos o City Tour + 4 Ruínas (Sacsayhuaman, Tambomachay, Puca Pucara e Qenqo) realizado pela Fabulous Peru Tous, que inclusive tem uma ótima classificação no Tripadvisor. Achei o trabalho deles excelente, tudo muito organizado com guias bem preparados e pontuais.
O Tour iniciou às 13h30 e antes de começarmos, a Fabulous Peru Tours nos explicou que nenhum passeio em Cusco inclui as entradas dos monumentos, esses devem ser comprados separadamente. As entradas das igrejas podem ser compradas durante o tour, porém para conhecer as ruínas do Império Inca você deve comprar o Boleto Turístico de Cusco. Aqui eu explico melhor. 
Iniciamos o nosso passeio a pé na Plaza de Armas e seguimos com destino a  Catedral del Cusco, que também abriga a sede da Diocese de Cusco. Após essa visita, caminhamos até o O Templo do Sol ou Coricancha, também conhecido como a Igreja Santo Domingo.
Catedral del Cusco na Plaza de las Armas
Vou explicar…o Templo do Sol foi construído pelo imperador inca Pachacuti, e se trata de um templo feito de pedras polidas encaixadas perfeitamente. Ali aconteciam rituais e oferendas ao Deus do Sol, que era cultuado pelos Incas, ele foi destruído pelos conquistadores espanhóis e sobre ele ergueram a Igreja de Santo Domingo. Curiosamente, um terremoto destruiu 2 vezes a construção dos religiosos espanhóis, expondo assim o Templo do Sol, que resistiu firmemente ao terremoto graças às técnicas incas de construção.
Templo do Sol ou Coricancha, também conhecido como a Igreja Santo Domingo
Minha prima e eu animadíssimas dentro do micro bus
Minha prima e eu animadíssimas dentro do micro bus
Em frente ao Templo do Sol entramos no micro ônibus da excursão e seguimos o nosso tour com destino á Sacsayhuaman (conhecida pelos íntimos como Sex Woman rssss) uma fortaleza cerimonial que supõe-se que foi construída originalmente com propósitos militares para defender-se de tribos invasoras que ameaçavam o Império Inca. Atualmente, resta apenas 20% do que foi esse conjunto arqueológico, já que na época colonial os espanhóis destruíram 80% do local retirando as pedras para construir casas e igrejas em Cusco. Desde a fortaleza é possível ter uma singular vista panorâmica dos arredores, incluindo a cidade de Cusco. 
Sacsayhuaman
Uma das principais características de “Sex Woman” é a maneira na qual ela foi construída, seus blocos de pedra podem alcançar até 9m de altura e o mais curioso é que as pedras são perfeitamente encaixadas uma em cima da outra sem a ajuda de nenhum tipo de cimento. Até hoje historiadores buscam entender como que os Incas fizeram para cortar e empilhar esses grandes blocos de pedra usando apenas instrumentos primitivos da época. Acredita-se que mais de 20.000 homens tenham trabalhado nessa construção.
Foto da turista impressionada com as pedras de Sacsayhuaman
Hoje em dia os peruanos realizam no dia 24 de junho, no solstício de inverno, o festival anual de Inti Raymi, uma representação do ritual incaico de culto ao Deus Sol ou Inti. Nessa cerimônia, todos vestem roupas típicas e realizam danças repetindo assim a tradição de seus antepassados. Para participar desse festival, procure mais informações com bastante antecedência, ele costuma lotar de turistas do mundo todo. (Encontre mais informações aqui)

AGDRfMWq8g5t3VPkQmM-Imkor3fPitACf7G6mo-yS786xjPvB1mBRlyAk8TTtOX-mOVRUP1VjqlaT1LQRhZtet0Iq-_ZMIwlJNqsu6s4bO0F1kR3dMUjedqC16uBUu85Ainda de lá, é possível observar que no topo de uma colina por cima de Cusco, tem uma estátua do Cristo. A estátua é conhecida como “El Cristo Blanco” e foi construída por um grupo de cristãos palestinos que buscavam refúgio em Cusco em 1945. Sua figura é até hoje um símbolo de gratidão à cidade e foi um presente de despedida quando eles finalmente retornaram ao seu país de origem. Desde então, a estátua serve como um lembrete ao povo de Cusco, “boas ações não passam despercebidas”.
El Cristo Blanco do alto da colina
El Cristo Blanco do alto da colina
Após Sacsayhuaman, fomos conhecer Tambomachay, também conhecido como “Banhos do Inca”. Esse é um sítio arqueológico que foi destinado como o culto à água para que o chefe do Império Inca pudesse descansar. Nesse lugar consta uma série de aquedutos, canais e várias cascatas de água que correm pelas rochas. O curioso é que da cascata principal, os Incas criaram duas cascatas secundários exatamente iguais, ou seja, se você coloca uma garrafa vazia em cada uma das cascatas, elas se enchem ao mesmo tempo. Aqui também existiu uma espécie de jardim real, cujo o sistema de irrigação, veio de um complicado sistema de canais feitos especialmente para essa função.
Tambomachay
Tambomachay ao fundo
Fechamos o nossa excursão passando de ônibus por Puca Pucara, uma fortaleza construída para proteger Tambomachay e visitando Qenqo um templo espiritual cravado em uma caverna e usado como local de cerimônias e rituais. Lá você pode ver as mesas cerimoniais onde eles faziam as mumificações dos lideres Incas y onde também faziam os sacrifícios das Llamas negras. Curiosamente os incas utilizavam as mesmas técnicas de mumificação egípcia.
Qenqo
Qenqo
Vista de Qenqo
Vista de Qenqo
Dicas rápidas:
  • Leve lanches e água na mochila; 
  • Compre o ingresso das ruínas antes começar qualquer passeio em Cusco. Menores de 27 anos que possuem a Carteira Internacional do Estudante (ISIC) portando a identidade ou passaporte pagam a metade do valor. Atualmente, sem desconto, esse ingresso custa 130 soles e lhe dá o direito a entrar em 17 sítios incas; 
Gostou desse post? Tem críticas ou sugestões? Comente aqui! 😉

By Belle Nog

Uma carioca tagarela, apaixonada por viagens e fotografia.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *